Promover a coesão territorial, a descentralização da oferta cultural contemporânea, corrigindo o desequilíbrio do seu acesso através de uma programação inspirada no capital cultural, natural e humano alentejano, assim é o Futurama – Ecossistema Cultural e Artístico do Baixo Alentejo.

Iniciado em maio de 2021, o novo projeto de John Romão propõe uma sinergia entre os municípios de Beja, Castro Verde, Mértola e Serpa, criando um inovador ecossistema cultural e artístico, colaborativo e transdisciplinar. Desenvolve uma programação regular anual, enraizada no território e nas comunidades locais, dedicada à experimentação e à combinação entre artes contemporâneas e tradicionais, biodiversidade, património e transdisciplinaridade.

Procurando criar novos espaços de interação e inclusão, fomentando a cidadania e a igualdade, Futurama propõe um cruzamento inter-geracional, incluindo comunidades com idades e conhecimentos diversos.

Futurama – Ecossistema Cultural e Artístico do Baixo Alentejo compõe-se de 4 atividades principais:


  1. RESIDÊNCIAS ARTÍSTICAS | NOVAS CRIAÇÕES E INVESTIGAÇÕES 

Dez artistas portugueses são convidados pelos quatro programadores associados em 2021 (Filipa Oliveira, Luís Fernandes, Joana Gusmão & Nuno Lisboa e Rui Horta) a desenvolver novas criações e investigações nos domínios das artes visuais, artes performativas, música, arte sonora, cinema e arte digital, inspiradas no capital simbólico, cultural, natural e humano do Baixo Alentejo.


  1. CANTEXTO

Da interseção entre o Cante Alentejano e a literatura contemporânea, nasce o projeto que funde as palavras Cante e Texto.

Atento à salvaguarda e regeneração contemporânea deste Património Imaterial da Humanidade, o Futurama convida prestigiados autores portugueses a escrever para oito grupos corais da região do Baixo Alentejo: Gonçalo M. Tavares, Matilde Campilho, Tiago Rodrigues, Patrícia Portela ou José Luís Peixoto.


  1. CONSTELAÇÕES

Constelações tem como linhas orientadoras a diversidade, a proximidade e a circulação dentro e entre municípios, promovendo um diálogo entre as práticas culturais tradicionais e as práticas artísticas contemporâneas. Desenvolve-se em três categorias – Oralidade, Visualidade e Fisicalidade – e tem lugar nos últimos dois sábados de cada mês.


  1. PROGRAMA EDUCATIVO

Desdobra-se em três atividades alinhadas com o Plano Nacional das Artes e em parceria com equipamentos de ensino secundário e superior da região: programas continuados de formação e criação (“Geração Futurama”), sessões mensais de encontro com artistas nas escolas secundárias (“O que é isso do Contemporâneo?”) e a celebração do centenário do artista Joseph Beuys, assente na colaboração transdisciplinar entre alunos de música e de têxteis (“A Revolução Somos Nós”).

Nas palavras do programador e diretor artístico, John Romão, “o território do Baixo Alentejo tem presente um conjunto significativo de vestígios de diversos povos e culturas, reflexo da diversidade cultural hoje existente na vivência das suas populações. O Futurama dará continuidade aos diálogos interculturais e internacionais que definem a história da região”.

Subscreve a nossa newsletter para não perderes nada.