Residência artística

Sábado, 03.07 2021
🔴 RESIDÊNCIA ARTÍSTICA
SUSANA MENDES SILVA (artista plástica, performer e professora) desenvolve no Museu Regional Rainha D. Leonor, em Beja, uma residência de investigação artística a partir do universo histórico de Mariana Alcoforado.

➔ A 3 de julho, Susana Mendes Silva partilha com o público o processo de desenvolvimento da sua residência artística, através de uma performance.

Susana Mendes Silva (Lisboa, 1972) é artista plástica, performer e professora. O seu trabalho integra uma componente de investigação e de prática arquivística, que se traduz em obras cujas referências históricas e políticas se materializam em exposições, acções e performances através dos mais diversos meios de produção. O seu universo contempla e reconfigura contextos sociais diversos sem perder de vista a singularidade do indivíduo. A sua intimidade psicológica ou a sua voz são inúmeras vezes veículos de difusão e recepção de mensagens poéticas e políticas que convocam e reactivam a memória dos participantes e espectadores.
Susana estudou Escultura na FBAUL e frequentou o programa de doutoramento em Artes Visuais (Studio Based Research) no Goldsmiths College, Londres, tendo sido bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian. É Doutorada em Arte Contemporânea, pelo Colégio das Artes da Universidade de Coimbra, com a tese baseada na sua prática performativa – A performance enquanto encontro íntimo.
É professora auxiliar na Universidade de Évora no mestrado de Arquitectura Paisagista e membro integrado do CEIS20 da Universidade de Coimbra.

Pensar o futuro é pensar quais serão as nossas ações hoje que irão impactar esse tempo que está para vir. É também olhar para o passado, refletir e examiná-lo para o reapresentar segundo diferentes perspectivas abrindo novas possibilidades. Foi com estes dois caminhos em vista que convidei as Carla Filipe e Susana Mendes Silva para o projecto Futurama. Duas artistas cuja prática, sendo muito diferente entre si, tem pontos em comum que se relacionam com um olhar prospectivo e intimista sobre determinado território, comunidade, ou indivíduo. Práticas que assentam na pesquisa e na investigação, e para as quais residências a oportunidades como esta podem ser momentos de enorme riqueza. Um curador trabalha para colocar desafio aos artistas, para que, por sua vez, eles nos surpreendam e nos transforme. Assim esperamos que o Futurama sejam um projecto transformador e surpreendente quer para os artistas quer principalmente para o território e para as comunidades que os acolhem.

Filipa Oliveira, programadora de artes visuais do Futurama

 

Quando

Sábado, 03.07 2021

Onde

Santa Casa da Misericórdia, Beja

Horário

a anunciar

Bilhetes

Entrada livre

Inscrição

Não se aplica