Constelação da Visualidade

Domingo, 01.08.2021

CONSTELAÇÃO DA VISUALIDADE

Com Fernanda Fragateiro (artista visual) e Maria da Luz Seixas (arquiteta de construção em taipa)

A artista Fernanda Fragateiro potencia relações com o lugar, convocando o espectador para uma posição de performatividade. No domingo, junta-se à arquiteta Maria da Luz Seixas, que desenvolve vários trabalhos de recuperação e construção nova, com recurso a técnicas ancestrais como a taipa, prática tradicional do Baixo Alentejo. Que relações se tecem entre estas duas práticas, unidas pela visualidade?

Fernanda Fragateiro (Montijo, 1962) vive e trabalha em Lisboa. Opera no campo da tridimensionalidade, desafiando relações de tensão entre a arquitectura e a escultura. Alguns dos seus projectos resultaram de colaborações com outros artistas plásticos, arquitectos, arquitectos paisagistas e performers.
A sua obra tem sido exposta em diferentes museus e instituições nacionais e internacionais como por exemplo a Galleria Nazionale d’Arte Moderna Contemporanea de Roma, o Museu Internacional de Escultura Contemporânea de Santo Tirso, o Museu de Arte Miguel Urrutia (Bogotá), Museu de Arquitetura, Arte e Tecnologia (Lisboa), CaixaForum (Barcelona), Palais des Beaux-Arts de Paris, Carpenter Center for the Visual Arts, Harvard University (Cambridge), The Bronx Museum of the Arts (New York), MUAC Museo Universitario Arte Contemporáneo (Mexico City), o Centro Cultural de Belém, a Fundação de Serralves (Porto), entre outros.

Maria da Luz Silva Dias Seixas (Vila Verde de Ficalho, Serpa) fundou a empresa Arquisol, Arquitetura e Planeamento, Lda., onde desenvolve diversos projectos de construção corrente e de reabilitação de construções em taipa. Entre 1999 e 2002 integrou o corpo docente do Curso de Mestre de Construção Tradicional da Escola de Desenvolvimento Rural em Serpa. Em 2004 funda a empresa Betão e Taipa, da qual é Diretora Técnica. Nesta data concretiza o seu primeiro projeto de raiz, em taipa. Desde então tem desenvolvido vários projetos e obras com o recurso às técnicas tradicionais de construção em terra crua. Em 2008, criou a marca AECO, arquitectura, engenharia e construção que agrupa as empresas Arquisol, E2L e Betão e Taipa, que mantêm parcerias desde o início da atividade. Em 2009, funda a BTPro, empresa que se dedica à produção de blocos de terra comprimida, (BTC’s), e materiais à base de terra e cal aérea.
Atualmente, tanto na empresa de projeto- Arquisol, Arquitetura e Planeamento, como na Betão e Taipa, de construção, desenvolve vários trabalhos de recuperação e construção nova, com recurso a técnicas ancestrais como a Taipa.

 

➔ CONSTELAÇÕES
Constelações é uma atividade com periodicidade mensal, que promove o diálogo entre práticas culturais tradicionais ligadas ao Baixo Alentejo e artistas contemporâneos. Desenvolve-se em três categorias: Oralidade (maio e setembro), Fisicalidade (junho e outubro) e Visualidade (julho e novembro).
Todos os sábados, na segunda quinzena de cada mês, decorrem estas sessões de diálogo, de partilha e de participação, que convocam abordagens diferente à oralidade, fisicalidade e visualidade, em Beja, Serpa, Mértola e Castro Verde.

Quando

Domingo, 01.08.2021

Onde

Parque Industrial de Serpa (Betão e Taipa), Serpa

Horário

18h

Bilhetes

Entrada livre

Inscrição

Não se aplica